segunda-feira, 10 de abril de 2017

Antigas profissões dos cebolas IV - Os vendedores de Rolete de Cana


A venda de roletes (muita gente pronunciava roleto) de cana era uma coisa muito corriqueira nos meus tempos de criança e o consumo era surpreendente. Podiam-se comprar roletes nas feiras, nas praças, na frente das igrejas (no horário das missas) e até mesmo nos campos de futebol.

Nos dias de hoje ainda se vende cana, mas hoje os roletes são vendidos em sacos plásticos e com o surgimento das máquinas portáteis de moer cana, o consumo passou a ser feito em forma do caldo da cana. Estranhamente quando se espreme a Laranja o resultado proveniente é chamado de suco e até hoje não entendi por que no caso da cana o resultado é chamado de caldo!

Os roletes de cana eram produzidos de uma maneira simples e artesanal. Era usada apenas uma mesa com um pequeno pedaço de tábua grossa, no centro tinha um grampo pregado onde se colocava o bico da faca (geralmente uma peixeira) como o lado de corte para baixo, a cana era descascada e colocada embaixo da peixeira que acionada pelo cabo para baixo se cortava as rodelas de cana que recebiam o nome de rolete. Os roletes eram colocados em uma haste de bambu que formavam um boquete.

Produzir o rolete de cana era fácil, mas tinha o inconveniente de comprar a matéria prima: a cana. Não pode ser qualquer tipo de cana e a pessoa tem de ter o fornecedor ou ir à feira (geralmente pela madruga) para tentar comprar de vendedores esporádicos. Além da cana tinha de se conseguir o bambu onde são enfiados os roletes e nesse caso não eram vendidos na feira e a pessoa tinha de ir até os locais onde existiam bambuzais. Na época não existia nenhuma inconveniência em retirar alguns galhos de bambus na Fazenda Grande ou mesmo nos bambuzais a margens da BR-235. Com a dificuldade de se conseguir o bambu se justifica a venda em pequenas sacolas plásticas. Atualmente a pessoa seria processada se retirasse alguns galhos de bambus em qualquer mata (hoje são todas consideradas reservas florestais) e por questão de modernismo e exigência da chamada higiene se vende caldo em copos plásticos e os roletes em bolsas plásticas.


Hoje a cana é vendida nos locais mencionadas, nos supermercados e nos modernos estabelecimentos conhecidos como shopping centers (central de vendas), mas o saudoso rolete, que era vendido na praça da matriz, sumiu faz um bom tempo.

Antônio Carlos Vieira
Licenciatura Plena - Geografia (UFS)

Nenhum comentário:

Postar um comentário